Home Política Desenrola Brasil: bancos já renegociaram mais de R$ 8 bilhões em dívidas

Desenrola Brasil: bancos já renegociaram mais de R$ 8 bilhões em dívidas

321
0

Os bancos já renegociaram 1,296 milhão de contratos em quatro semanas, desde o início do programa Desenrola Brasil, em 17 de julho, informou a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) .

Segundo a federação, foram R$ 8,1 bilhões negociados exclusivamente pela Faixa 2 — que foca em resolver as dívidas de pessoas físicas com débitos negativados até 31 de dezembro de 2022 e renda de até R$ 20 mil.

No total, foram beneficiados cerca de 985 mil clientes. A adesão ao programa irá até 31 de dezembro deste ano.

O programa “Desenrola Brasil’ é uma promessa de campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ele foi criado para promover um mutirão de renegociação de dívidas de pessoas físicas. A ideia central é tirar pessoas da lista de negativados e retomar o potencial de consumo da população.

Ainda de acordo com a federação, as instituições financeiras limparam o nome de cerca de 5 milhões de clientes que tinham dívidas bancárias de até R$ 100 — uma contrapartida à participação dos bancos no programa.

Isso significa que, se o devedor não tinha outros débitos pendentes, ficou com o “nome limpo” nos sistemas de proteção ao crédito.

Inicialmente, o Ministério da Fazenda projetava que 1,5 milhão de pessoas poderiam ser contempladas por essa medida, mas a meta foi ultrapassada logo na primeira semana do Desenrola.

Vale lembrar, no entanto, que a desnegativação não significa um perdão. O débito seguirá existindo, mas os bancos se comprometem a não incluir os devedores no cadastro negativo.
Os números do Desenrola falam por si e são uma grande satisfação para todos, bancos, governo e a sociedade. A grande adesão e o interesse pelo programa na Faixa 2 são uma amostra do que virá em setembro, com a Faixa 1”, avalia o presidente da Febraban, Isaac Sidney.

Desenrola Brasil: vale a pena renegociar dívidas no programa do governo?
A Febraban ainda informou que cada banco tem sua estratégia de negócio, “adotando políticas próprias para adesão ao Programa”.

“As condições para renegociação das dívidas, nessa etapa, serão diferenciadas e caberá a cada instituição financeira, que aderir ao programa, defini-la”, disse a federação em nota.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here