Home Política Ainda não foi discutido mudança na meta de déficit zero’

Ainda não foi discutido mudança na meta de déficit zero’

415
0

Segundo Tebet, o prazo para apresentação de emendas ao projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) é sexta-feira (17) e pode ser estendido até a próxima segunda-feira (20).

A ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, disse que a equipe econômica ainda não discutiu a possibilidade de mudança na meta de déficit zero em 2024.

“Veja, não posso falar em nome da equipe econômica, até porque a gente não discutiu ainda essa possibilidade de mudança de meta ou não. Nós temos esse prazo até sexta-feira, talvez até segunda”, disse a jornalistas, depois de reunião com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

A ministra comentou a emenda apresentada pelo vice-líder do governo Segundo Tebet, o prazo para apresentação de emendas ao projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) é sexta-feira (17) e pode ser estendido até a próxima segunda-feira (20).

A ministra disse ainda que o relator do projeto, o deputado Danilo Forte (União-CE), tem demandado informações da área econômica. “No momento certo, ele [Forte] vai ponderar se vai mexer ou não na meta e quando isso se dará”, disse.

LEIA TAMBÉM

·         Campos Neto diz que mercado pode interpretar eventual mudança da meta fiscal como ‘abandono’ do arcabouço

·         Alvos de críticas de Haddad, benefícios fiscais devem superar os R$ 500 bilhões em 2024, maior nível em 9 anos

Déficit zero

O déficit zero significa equilíbrio nas contas públicas, em que as receitas e despesas são equivalentes. A meta está prevista no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) e no projeto de Orçamento (PLOA) para 2024, enviadas ao Congresso e que ainda precisam ser aprovadas.

O arcabouço fiscal, nova regra de controle dos gastos do governo federal, prevê um intervalo de tolerância para o resultado das contas públicas: de 0,25% do PIB para mais ou para menos.

Ou seja, como a meta estipulada para 2024 é de um déficit zero, o governo pode registrar um déficit primário (sem contar os juros da dívida pública) de até 0,25% do PIB no próximo ano sem que a meta seja descumprida.

no Congresso, Lindbergh Farias (PT-RJ), ao relatório preliminar da LDO (Lei das Diretrizes Orçamentárias), que aumenta a meta para um déficit entre 0,75% e 1% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2024.

Questionada, Tebet disse que “cada parlamentar tem direito” de propor mudança na meta de déficit e que cabe ao relator acolher ou não as propostas no texto.

A ministra disse ainda que o relator do projeto, o deputado Danilo Forte (União-CE), tem demandado informações da área econômica. “No momento certo, ele [Forte] vai ponderar se vai mexer ou não na meta e quando isso se dará”, disse.

Déficit zero

O déficit zero significa equilíbrio nas contas públicas, em que as receitas e despesas são equivalentes. A meta está prevista no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) e no projeto de Orçamento (PLOA) para 2024, enviadas ao Congresso e que ainda precisam ser aprovadas.

O arcabouço fiscal, nova regra de controle dos gastos do governo federal, prevê um intervalo de tolerância para o resultado das contas públicas: de 0,25% do PIB para mais ou para menos.

Ou seja, como a meta estipulada para 2024 é de um déficit zero, o governo pode registrar um déficit primário (sem contar os juros da dívida pública) de até 0,25% do PIB no próximo ano sem que a meta seja descumprida.

 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here